DOR CRÓNICA





Incapacidade para trabalhar, depressão, isolamento são algumas das consequências desta doença

TRATAMENTO COM MESMA SUBSTÂNCIA ACTIVA DA MALAGUETA AJUDA A TRATAR DOR

Medicinal, afrodisíaca ou, simplesmente, um fantástico tempero... A Malagueta é muito usada em todo o mundo. Agora, a planta revelou uma nova utilização: Ajuda a tratar a dor crónica. O segredo está na capsaícina, composto químico fundamental da malagueta, que constitui o princípio activo de um tratamento inovador que reduz a Dor Neuropática Periférica (DNP), um tipo de dor crónica que afecta cerca de 8% dos portugueses.

Esta terapêutica, que tem a forma de adesivo, permite um alívio significativo da dor neuropática de forma rápida e prolongada, sentindo-se este alívio nas 48 horas seguintes à aplicação (que dura 30 ou 60 minutos, dependendo da zona da área a tratar) durante um período de três meses. Actualmente, 160 pacientes do país já estão a beneficiar da terapêutica (Hospital Amadora-Sintra, Hospital Privado do Porto, Hospital Curry Cabral, Hospital Garcia de Orta, Hospital de São João, Hospitais da Universidade de Coimbra, Hospital de Pombal, entre outros).

A DNP é uma dor crónica, muitas vezes descrita como uma sensação de picada, facada ou queimadura. Ao contrário da dor aguda, que habitualmente constitui uma resposta normal do nosso corpo a avisar que há um estimulo doloroso, e que desaparece após cura da lesão, a dor crónica não tem qualquer função protectora e continua após a cura da lesão. A zona dolorosa fica extremamente sensível, reagindo com dor ao toque, ao movimento ou à temperatura, de forma mais ou menos contínua e/ou persistente. Por vezes torna-se intolerável para o doente o contacto com o tecido da roupa, pois pode provocar dores insuportáveis. Como resultado, o doente vê-se incapacitado de dormir ou de desenvolver as actividades do dia-a-dia. Este quadro acarreta também consequências psicológicas, sobretudo uma grande incapacidade para trabalhar, a necessidade de alterar a rotina social e muita dificuldade em manter relações pessoais/sexuais. Factores que conduzem ao isolamento do doente e, consequentemente, a uma forte tendência para episódios depressivos, ansiedade e doença cardíaca.

Criada em 2005 no Japão, na sequência da fusão entre a Yamanouchi Pharmaceutical Co.  e a Fujisawa Pharmaceutical Co, a Astellas Pharma é uma das 20 maiores empresas farmacêuticas do mundo. Com uma facturação de cerca de 10.9 mil milhões de dólares, em 2009, a empresa conta com cerca de 16 mil colaboradores em delegações espalhadas pela Europa, América do Norte, Ásia e Japão. Com um trabalho orientado para o doente, a Astellas Pharma está empenhada no desenvolvimento de medicamentos inovadores de primeira linha em áreas terapêuticas chave, como a dermatologia, urologia, transplantação, infecciologia e dor.