Hepatite C



O CONSUMO DE CAFÉ PODE REDUZIR A PROGRESSÃO 
DA HEPATITE C





Estima-se que 100 a 150 mil portugueses estejam
infectados com o vírus da hepatite C.



Consumir pelo menos três chávenas de café, por dia, pode reduzir a progressão da hepatite C. A conclusão resultou de um estudo norte-americano realizado pelo National Cancer Institute, publicado, recentemente, na revista Hepatology. Este envolveu um total de 1.050 doentes, analisados de forma randomizada, através de questionários, durante um período de quatro anos.

O estudo concluiu que o consumo de mais de três chávenas de café/dia estava associado a um grau inferior de esteatose (depósito de gordura no fígado) e valores mais reduzidos de bilirrubina (análise associada à presença de icterícia, ou seja coloração amarelada dos olhos e da pele).

"Tratando-se a hepatite C de uma doença com uma prevalência tão elevada, que pode ter consequências graves para a saúde, penso que os resultados deste estudo devem ser vistos com optimismo. Este confirma outros estudos que dão conta que o consumo de uma substância tão popularizada entre os portugueses, como é o café, pode atenuar a progressão da hepatite C produzindo um efeito benéfico no fígado" explica o Prof. Rui Tato Marinho, hepatologista.

Estima-se que 100 a 150 mil portugueses estejam infectados com o vírus da hepatite C. No entanto, apenas 20% a 30% dos casos estão identificados, devido à quase inexistência de sintomas. A Organização Mundial de Saúde (OMS) calcula que a hepatite C afecte cerca de 200 milhões de pessoas, sendo a causa da morte de uma pessoa a cada 30 segundos. Em Portugal, cerca de 60% das mortes por carcinoma hepatocelular (cancro do fígado) estão relacionadas como vírus da hepatite C.

O Programa "Café e Saúde" foi implementado em Portugal, em 2007, pela AICC (Associação Industrial e Comercial do Café) com o objectivo de mudar a atitude dos profissionais de saúde relativamente ao consumo de café. É um projecto de informação, dirigido a profissionais de saúde, que procura esclarecer e desvendar mitos sobre a ingestão do café, reunir evidência científica quanto aos benefícios inerentes ao seu consumo na prevenção de algumas patologias e estimular o conhecimento específico sobre esta temática. Criado pela OIC (Organização Internacional do Café) apoia, actualmente, programas em Portugal, Espanha, Alemanha, Itália, Finlândia, França, Holanda, Rússia e Reino Unido.