Os principais factores que provocam a depressão do idoso



            A depressão é um transtorno psíquico, que está associado a uma diminuição das actividades física e psicológica.
           A perturbação do estado emocional do doente, diferencia-se, de uma tristeza passageira ou problema existencial, por ser uma prolongada alteração do humor (em média 2 semanas) com um quadro clínico específico.
           A etiologia da doença é muito diversificada, pois várias causas podem contribuir para o desencadear da enfermidade:
- elementos de origem genético-hereditários (verificou-se uma maior predisposição para esta patologia em pessoas que têm casos de depressão na família), 
- biológicos (os doentes depressivos revelam dificuldades no funcionamento e na transmissão da informação entre as células nervosas) 
- psicossociais (acontecimentos traumáticos, tais como: a perda de um familiar, o desemprego, o terminar de uma relação afectiva, os acidentes, as catástrofes naturais, ertc - poderão originar uma depressão).
            Os factores que estão na origem da depressão, nesta fase da vida, são geralmente as doenças associadas ao processo de envelhecimento (as cardiovasculares, o cancro, a artrite reumatóide e a aterosclerose), as dificuldades económicas, e as muitas perdas afectivas, a morte de familiares e de amigos próximos,
-->

 o internamento em lares, o isolamento, a solidão e o abandono em que alguns idosos se encontram. No entanto, uma só causa não provoca o aparecimento da doença, mas a combinação de diversos factores, físicos, afectivos e sociais.
            A perturbação depressiva major, é uma das patologias psiquiátricas com maior incidência entre a população idosa. Os principais sintomas da doença caracterizam-se por:
- humor depressivo durante quase todo o dia, expresso nas queixas do doente ou pelo relato de outras pessoas, 
- perda do interesse por todas ou quase todas as actividades diárias (anedonia),  
- diminuição ou acréscimo do peso, sem qualquer razão aparente,  
- alterações do apetite (redução ou aumento do apetite), 
- perturbações do sono (insónia ou hipersónia), 
- agitação ou lentidão psicomotora, 
- cansaço ou falta de energia, 
- sentimentos de depreciação ou culpa exagerados, 
- diminuição da capacidade cognitiva ou da concentração 
- diminuição da competência para tomar decisões, 
- pensamentos de morte ou ideação suicida. 

            O tratamento da depressão, geralmente, é feito com acompanhamento médico e a administração de anti-depressivos, que regulam o humor e aliviam os sintomas da doença. 
             O apoio de um psicoterapeuta, que permita ao doente expressar todos as situações problema e facilitar-lhe o encontrar de uma solução para a sua própria vida.