Dificuldade de Deglutição


Deteção, acompanhamento e tratamento da dificuldade de deglutição

Enfermeiros do HSA apostam na melhoria da qualidade dos cuidados prestados com formação sobre disfagia

Os enfermeiros do Hospital de Santo André (HSA), do Centro Hospitalar Leiria-Pombal (CHLP), vão estar em formação nos dias 14 e 16 de fevereiro, para renovarem conhecimentos sobre os casos de disfagia, (dificuldade de deglutição de alimentos sólidos e/ou líquidos da boca até ao estômago), a fim de melhorarem a qualidade dos cuidados prestados aos utentes, através da criação de consensos na deteção, acompanhamento e tratamento deste problema. A formação será ministrada pela equipa de terapeutas da fala do Serviço de Medicina Física e Reabilitação a profissionais de enfermagem de várias especialidades, e terá lugar no Gabinete de Educação e Formação Permanente deste hospital. 

Lília Martins, diretora do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do HSA, explica que «a disfagia é um problema que consiste na dificuldade na deglutição de alimentos sólidos e/ou líquidos, que por vezes é muito difícil de detetar, porque nem sempre o doente se engasga ao engolir ou tem tosse depois de engolir». «Como tal, é essencial estar sempre atento a quaisquer alterações que possam indicar que estamos perante um caso de disfagia, de forma a adotar procedimentos que permitam minorar complicações», refere.

Além de se verificar frequentemente em idosos, a disfagia surge associada a doenças de caráter neurológico, como os Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC), a doenças neurodegenerativas, como a esclerose lateral amiotrófica e a doenças neuromusculares. É uma complicação subavaliada na maioria dos casos, e que pode originar complicações graves como malnutrição, desidratação, choque e pneumonia de aspiração, resultante da aspiração de alimentos para o aparelho respiratório, o que em 50% dos casos provoca a morte do doente.

«Apesar de este assunto ser bastante conhecido dos terapeutas da fala, dos médicos fisiatras e neurologistas, detetámos algumas dúvidas sobre o tema junto de profissionais de outros serviços do hospital que diariamente lidam com este problema, nomeadamente entre os enfermeiros, e daí termos avançado para esta partilha de conhecimentos, que certamente irá contribuir para a melhoria dos cuidados prestados aos nossos utentes», explica Lília Martins, a propósito da importância da formação direcionada aos enfermeiros do HSA.

O evento pretende desta forma criar convergências no acompanhamento e deteção de casos de disfagia, contribuindo assim para a melhoria nos cuidados prestados aos utentes, através da minimização dos riscos associados. Da realização desta formação será elaborado internamente um protocolo de procedimentos sobre como lidar com o problema, com o intuito de normalizar e garantir o cumprimento das normas apresentadas durante a formação.

Helder Roque, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Leiria-Pombal, considera que «a formação contínua dos nossos profissionais é prioritária na busca da excelência nos cuidados prestados aos utentes, e o nosso Gabinete de Formação assegura esta mesma estratégia, garantindo acesso permanente e efetivo à formação e informação». «A partilha de conhecimento entre os profissionais da instituição reflete a importância e a consciência de que só a convergência de saberes e procedimentos pode contribuir para o alcance de melhores resultados» conclui o presidente do Conselho de Administração.