PESCADO PODE SER CHAVE NA CURA DO CANCRO





Consumo de ómega-3 reduz o risco de desenvolvimento da doença

Uma equipa de investigadores da Universidade de Sydney descobriu que pequenas substâncias encontradas no ómega-3, denominadas Epoxidos, podem bloquear a capacidade migratória das células tumorais do cancro da mama, prevenindo a sua metastização.

Porque mais de 80% do ómega-3 disponível nas dietas humanas provem diretamente do seu consumo, o Pescado assume-se assim como a maior fonte deste ácido gordo que reduz o risco de cancro, não só da mama, mas também do pâncreas, próstata e cólon.

A mortalidade por cancro continua a aumentar - em Portugal são cerca de 25 mil vítimas a cada ano – pelo que se verifica um acréscimo de estudos por parte da comunidade científica em busca de soluções para esta patologia.

Segundo a Drª Hardman do American Institute for Cancer Research, os ómega-3 não só inibem enzimas e interferem com proteínas da cadeia inflamatória que promovem o aumento do tumor, impedindo assim o seu crescimento, como também aumentam a mortalidade das células cancerígenas e potenciam os efeitos da quimioterapia.

Diferentes estudos, realizados em comunidades piscatórias da África do Sul, atribuíram a baixa frequência de cancro do cólon à elevada ingestão de ómega 3, confirmando o que já tinha sido observado em Esquimós. Também se observou que a proporção de fibras e de cálcio na dieta destes povos influenciaram o efeito benéfico dos ácidos gordos, por interferirem com a absorção dos lípidos no lúmen intestinal.

Pescado, fonte natural de Ómega-3
Uma vez que o corpo humano é incapaz de produzir ómega-3, é necessário a sua ingestão através dos alimentos. Por ser a maior fonte deste ácido gordo, aconselha-se o consumo de diferentes espécies de Pescado, tais como a cavala, carapau, sardinha, salmão, entre outras.

O peixe pode e deve ser consumido nas suas diversas formas, fresco, congelado, seco ou em conserva.

Mais informações sobre a Fileira do Pescado em www.fileiradopescado.com.