O Chocolate e os seus mitos












O Chocolate e os seus mitos





Para uns, um consolo associado a bem-estar, para outros o seu 'pior inimigo'…

No meio de tanta divergência e contrariedade o que se fala do chocolate será verdade ou não passa de um mito?

O chocolate ajuda ao bom humor? VERDADE!
O chocolate contém feniletilamina, uma substância que o nosso cérebro utiliza para produzir serotonina. Trata-se da substância responsável pela sensação de bem-estar que obtemos, por exemplo, após fazer exercício físico ou quando se está apaixonado. É a chamada "hormona da felicidade".

O chocolate causa acne? MITO!
É muito frequente atribuir-se ao chocolate o aparecimento ou agravamento do acne, mas nenhum estudo científico o comprova. O acne é uma situação cutânea que resulta essencialmente de um aumento da atividade hormonal com aumento da secreção sebácea. O consumo de chocolate não tem qualquer interferência com este processo e portanto não pode ser associado ao acne.

O chocolate ajuda a melhorar a concentração? VERDADE!
O chocolate fornece energia numa forma muito acessível ao cérebro e contém também teobromina, uma substância da família da cafeína que estimula a concentração. Por esta razão quando precisamos de recuperar energia para continuar um trabalho intelectual, um ou dois quadrados de chocolate pode dar uma ajuda muito interessante.

O chocolate é nutricionalmente pobre? MITO!
O chocolate é um alimento de composição muito complexa que contém mais de 300 substâncias químicas diferentes e vários nutrientes necessários ao organismo, dependendo da variedade. O chocolate contém proteínas, gorduras, hidratos de carbono, algumas vitaminas e minerais e ainda antioxidantes que no chocolate preto é em quantidade apreciável.

O chocolate faz aumentar o colesterol? MITO!
Estudos científicos demonstram que a gordura presente no chocolate não aumenta os níveis sanguíneos de colesterol. Pelo contrário, os antioxidantes      presentes em teores significativos no chocolate preto, podem ajudar a diminuir o risco de doenças cardiovasculares.