“O cabelo denso e forte é uma tendência”, por h&s


Ter um cabelo denso e forte por mais tempo, é um desejo comum a qualquer homem. Esta é uma das conclusões apresentadas num estudo conduzido pela marca h&s na Europa Ocidental (França, Alemanha, Grécia, Península Ibérica, Suécia, Holanda e Reino Unido).

Na verdade, sabe-se que a queda de cabelo é um dos factores que mais comprometem um cabelo de aspecto denso e forte. Mas será inevitável?
Com a nova fórmula do Champô h&s Prevenção da Queda, para uso diário, é possível tirar partido do seu cabelo por mais tempo.

Os danos diários que surgem na sequência de actos tão rotineiros como secar vigorosamente com a toalha, pentear, ou escovar o cabelo representam, na realidade, elevados riscos. Isto sem falar na irritação da pele do couro cabeludo provocada pela caspa, que associada ao acto de coçar, produz danos no cabelo que levam, em última análise, à sua queda. Por essa razão, a nova variante de h&s combate a caspa, hidrata e fortalece o couro cabeludo e o cabelo, evitando a quebra e, consequente, queda dos fios.

Mas por que é tão importante manter um cabelo denso? Para Ben Skervin, conceituado hairstylist de h&s, não há dúvidas de que um bom corte de cabelo depende em grande parte da sua textura e qualidade: “um cabelo denso e forte está sempre associado a um cabelo saudável, o que é particularmente importante nos dias de hoje dado que os homens começaram a usar novamente cortes bastante curtos. Pessoalmente, gosto bastante de visuais muito clean, como aqueles que as estrelas de cinema dos anos 50 usavam – e a verdade é que o resultado é realmente melhor quando o cabelo está forte, denso e com corpo”.

Isso significa que apesar de haver muitos penteados… o mais importante é ter cabelo! Mas quão importante é o cabelo para os homens? Será que invejam o cabelo de outros homens? Exibir um cabelo denso e forte dá-lhes uma dose extra de confiança? O seu penteado torna-os mais atractivos para o sexo oposto? Estas são algumas das questões que h&s colocou a sete mil homens e duas mil mulheres de várias regiões da Europa Ocidental para desvendar como é que realmente encaram o seu cabelo. E os resultados foram muito elucidativos.

Ler o estudo completo