a influência das redes sociais na propagação de informações



Pedimos que participe da nossa pesquisa disponível no link http://surveymonkey.com/s/pesquisasaudealianca . É rápido e fácil! SUA RESPOSTA É MUITO IMPORTANTE!!!!

Trate-se de uma pesquisa sobre a influência das redes sociais na propagação de informações sobre doação de medula óssea. Participem e divulguem nossa pesquisa. 

Sua ação pode salvar vidas!

Você sabia que atualmente o Brasil possui cerca de dois milhões de doadores cadastrados no Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME), o terceiro maior banco de dados do gênero no mundo?

Contudo, mesmo com milhões de doadores cadastrados, a probabilidade de encontrar um doador compatível fora da família é de 1 em 100.000 e este é um enorme problema para as mais de 1.000 pessoas que aguardam pelo transplante no país. Apenas em consequência da leucemia morrem todos os anos mais de 5.000 pessoas. Muitas delas têm como única possibilidade terapêutica o transplante de medula.

O transplante de medula óssea é um tipo de tratamento proposto para algumas doenças que afetam as células do sangue, como leucemia e linfoma. Este procedimento consiste na substituição de uma medula doente por células normais, com o objetivo de reconstituição. Quando inexiste um doador aparentado (um irmão ou outro parente próximo, geralmente um dos pais), a solução encontrada é procurar por um doador compatível não aparentado. As informações das pessoas que se dispõem a doar medula ficam armazenadas no REDOME.

Para se cadastrar, o doador precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e gozar de boa saúde. O cadastro é realizado no hemocentro mais próximo da residência do doador. Os dados do doador são inseridos no REDOME e, quando surgir um paciente, a compatibilidade será verificada. Uma vez confirmada a compatibilidade, o doador será consultado para se decidir quanto à doação. O transplante de medula óssea é um procedimento seguro, realizado em ambiente cirúrgico, sob anestesia, com duração de aproximadamente duas horas. Dentro de duas semanas, a medula óssea do doador está inteiramente recuperada.


ACREDITA QUE ESSAS INFORMAÇÕES SÃO IMPORTANTES E ÚTEIS? ENTÃO COMPARTILHE!!!!



Fonte: Instituto Nacional de câncer (http://www1.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=64)