Principais resultados do estudo h&s

Principais resultados

52% dos homens admitem usar o cabelo para marcar uma posição…

Os homens deixam que o seu cabelo fale por si: mais de um em cada dois inquiridos (52%) admitem usar o cabelo para marcar uma posição num ou noutro momento da sua vida diária. Os participantes no estudo de nacionalidade francesa e espanhola fazem-no mais frequentemente (26% e 18%, respectivamente). Em França, os homens, sobretudo entre os 35-44 anos, têm maior tendência para usar o cabelo para impressionar – aliás, perto de um terço (31%) admite fazê-lo.

Os resultados do estudo indicam, inclusivamente, que quanto mais jovens são os homens, mais recorrem ao cabelo como um meio de expressão – perto de um quinto (19%) dos homens que participou no inquérito entre os 18-24 anos afirma usar sempre o seu cabelo com um statement. Já entre os mais velhos esta tendência é menor, apenas um décimo (10%) dos envolvidos, entre os 45-54 anos, o faz e quando se chega à faixa etária mais idosa, acima dos 55 anos, esta percentagem decresce ainda mais, para 8%.

65% concorda que um cabelo denso é essencial…

A densidade e a saúde do cabelo são factores mais importantes para uns do que para outros: mais de metade dos homens de origem espanhola e grega (60% e 66%, respectivamente) e perto de dois quintos dos homens de origem alemã (45%) concordam que um cabelo denso e forte é um sinal de virilidade, sucesso e confiança; enquanto para os inquiridos de origem francesa (43%), britânica (42%), sueca (38%) e holandesa (34%) estas características são menos substanciais.

No entanto, mais de 65% dos homens concordam que um cabelo denso e saudável ajuda a alcançar o sucesso e a ter mais confiança, por exemplo, num encontro romântico.

Estilos: os heróis retro e os renegados

Os homens gostam de se exibir. Não é por acaso que os penteados mais populares entre os inquiridos são a “crista” (vulgarizada recentemente pelo futebolista David Beckham, que adoptou durante algum tempo um corte de cabelo denso e espesso no topo, moldado para cima) e os cortes de cabelo lisos típicos de Hollywood dos anos 40 (que se tornaram famosos, nomeadamente, através do actor Cary Grant e, mais recentemente, da personagem Don Draper da série de televisão Mad Men, em que o cabelo é cortado rente nos dois lados e deixado com mais volume e corpo no topo) – estilos que tanto os homens como as mulheres parecem admirar (15% e 14%, respectivamente).

Em quase todos os países que participaram no estudo, os cortes típicos dos anos 80 são os menos apreciados dos últimos 70 anos, sobretudo o já muito ridicularizado mullet, que ficou na moda graças a personalidades como Billy Ray Cyrus. Este estilo conta com o voto negativo de 22% das mulheres e de 17% dos homens envolvidos no inquérito. Os britânicos, entre os 35-44 anos, são os que mais nomeiam o mullet como o estilo que menos valorizou o visual masculino (29%) – presumivelmente porque são os que se encontram na faixa etária que mais adoptou este look. Logo de seguida, na lista dos penteados mais reprovados, aparece o “Corte cogumelo”, que se revela particularmente impopular entre os homens na faixa etária dos 18-24 anos (19%).

41% considera que George Clooney tem o melhor look

Quando se pede aos inquiridos para examinarem os looks de celebridades, os participantes do sexo masculino dão preferência ao cabelo grisalho de George Clooney, sendo que um terço nomeia-o como a celebridade que tem o visual “mais invejável” (33%). De igual forma, as mulheres que participaram no inquérito também se demonstram entusiasmadas com o aspecto da estrela de Ocean’s Eleven – um terço (37%) elege o seu look como um exemplo a seguir. Este facto foi mais evidente entre a população francesa (com 50% a referir o nome do actor) e nos inquiridos acima dos 55 anos de idade (41% dos homens e 49% das mulheres nesta faixa etária). Já entre os mais jovens, o protagonista de Mr & Mrs Smith, Brad Pitt, é quem reúne a maioria dos votos, com mais de um terço dos homens e das mulheres, entre os 18-24 anos, a dizer que é o “mais invejável”.

A marca procurou também compreender quais seriam os penteados com menos adeptos. A maior parte dos inquiridos atribui o vergonhoso título de cabelo “menos invejável” ao tenista Boris Becker, ao empresário Donald Trump e ao actor Russel Brand. Mas o futebolista Zinedine Zidane e o actor Bruce Willis são também referidos nesta categoria, sobretudo pelos inquiridos de origem francesa. Mas há também quem mencione apenas celebridades calvas ou com cabelo demasiado fino, principalmente na Suécia e na Alemanha.

Espelho, espelho meu… quem tem um penteado mais bonito do que eu?

É o que um em cada sete homens admite perguntar. Aliás, 14% dos entrevistados mencionam que invejam o look de outros homens. Regra geral, os inquiridos mais jovens, entre os 18-24 anos e os 25-44 anos, são os que mais desejam imitar o visual de outras pessoas do mesmo sexo (19% e 17%, respectivamente).

E quando se fala em julgar o aspecto de outrem, os homens revelam maior tendência para criticar os seus colegas de trabalho, incluindo os seus superiores hierárquicos (11% e 14%, respectivamente), do que os seus amigos e familiares (9% e 9%, respectivamente). É, aliás, na Grécia que os homens mais admitem este comportamento, sendo que 16% julgam os seus colegas, 15% têm a mesma atitude em relação aos seus superiores hierárquicos, 14% declaram que avaliam a aparência dos seus amigos e 10% dos seus familiares.

A Alemanha é o país que reúne maior número de homens satisfeitos com o seu cabelo (66%), enquanto a Grécia parece agregar mais pessoas descontentes com o aspecto do seu cabelo (17%) do que qualquer outro país.

Quando lhe passam os dedos pelo cabelo…

… a reacção nem sempre é a melhor. Passar os dedos pelo cabelo do seu par romântico é encarado como um acto de intimidade num relacionamento. Como tal, é significativo que mais de metade dos homens tenha consciência do estado do seu cabelo quando a sua companheira o acaricia (55%). Os homens com origem na Península Ibérica são os que têm melhor noção da saúde do seu cabelo nestes momentos de intimidade (85%). Contudo, com a idade, os homens revelam-se menos alerta para o estado do seu cabelo nestas situações (18-24 anos: 68%; 25-34 anos: 63%; 35-44 anos: 58%; 45-54 anos: 51%; 55+ anos: 44%).

Já as mulheres que assumem ter namorado revelam maior interesse em acariciar o cabelo dos seus companheiros, do que as casadas ou aquelas que vivem em união de facto (75% versus 62%). A importância dos homens manterem o seu cabelo saudável é ainda sublinhada pelo facto de quase metade do sexo oposto não sentir vontade de passar os dedos por um cabelo fino e sem vida (46%).

Quão importante é o cabelo para os portugueses?

A Península Ibérica é claramente um local onde abundam os amantes de um cabelo saudável, com mais de dois terços dos homens a admitirem usar o cabelo para marcar uma posição num ou noutro momento (68%).

De todos os países envolvidos no estudo, esta região é a que parece reunir maior número de fãs dos penteados típicos de Hollywood dos anos 40, sendo que um em cada quatro homens elege este visual como o mais icónico das últimas sete décadas (25%). Os grupos mais jovens escolhem looks mais recentes, como a “crista” que David Beckham tornou famosa, que é nomeada por mais de um quinto (21%) dos homens entre os 18-24 anos. Já os seus compatriotas nas faixas etárias superiores discordam, com 34% dos que se encontram entre os 45-54 anos e 39% dos que têm mais de 55 anos a reclamarem que é o penteado que menos favorece o visual masculino.

Em linha com a sua inclinação pelo look dos anos 40, os homens mais velhos escolhem George Clooney como a celebridade com o aspecto “mais invejável”. Neste sentido, os homens nas faixas etárias entre 45-54 anos e com mais de 55 anos demonstram particular entusiasmo pelo visual do actor, sendo referido por quase metade (44% e 45%, respectivamente) dos inquiridos nesses grupos. Por outro lado, os mais jovens (18-24 anos e 25-34 anos) elegem o visual de Brad Pitt (40% e 41%, respectivamente) como o mais magnético.

Para três em cada cinco homens na Península Ibérica um cabelo denso e forte transmite sinal de virilidade, sucesso e confiança – uma crença particularmente presente entre os homens mais jovens (63% e 77% dos homens entre os 18-24 anos).

Mas o que não gera dúvidas é que os homens têm consciência do estado do seu cabelo quando a sua companheira os acaricia (100% admitem-no). E quando se repara na opinião das suas congéneres compreende-se por que essa percentagem é tão elevada: mais de quatro quintos (85%) das mulheres gostam de passar os dedos pelo cabelo dos seus companheiros – sendo que perto de um quarto (27%) admite evitar estas situações, alegando que o seu companheiro tem um “cabelo sem vida”. Curiosamente, brincar com o cabelo do marido/namorado é mais comum entre as mulheres mais jovens, entre os 18-24 anos, embora a totalidade das inquiridas (100%) expresse esse gosto.

100% das mulheres na Península Ibérica confessam gostar de passar os dedos pelos cabelos dos seus companheiros

Entre os diferentes países há algo de consensual: o cabelo é tão importante para os homens se sentirem confiantes e bem sucedidos como para terem sucesso entre as mulheres!

Reino Unido

Mais de um terço dos homens de origem britânica usam o seu cabelo para marcar uma posição numa ou noutra ocasião (35%). Esta percentagem é, de facto, a mais baixa de toda a Europa Ocidental – um resultado que não está alinhado com as percepções do público em geral, suportadas, sem dúvida, por celebridades como David Beckham que mudam constantemente de corte de cabelo. Esta conclusão é, possivelmente, indicativa de alguma relutância dos britânicos em se mostrarem preocupados com a sua aparência. Os grupos mais jovens de inquiridos demonstram-se mais condescendentes com a ideia de se expressarem através do penteado: os homens entre os 18-24 anos e os 25-34 anos revelam maior propensão do que os acima dos 55 anos (76% e 61% versos 21%).

Quando h&s pergunta que estilos pensam ter favorecido mais o aspecto masculino nos últimos 70 anos, tanto os homens como as mulheres optam por cortes mais curtos e clássicos, em detrimento de outros penteados menos consensuais. O mullet dos anos 80 é o mais mencionado quando os inquiridos de ambos os sexos referem os penteados menos atractivos (homens: 29% e mulheres: 32%, respectivamente). Já no que toca aos visuais preferidos, a maioria elege George Clooney como a celebridade que tem o cabelo “mais invejável” (36%). O actor revela-se especialmente popular entre as gerações mais velhas (com mais de 55 anos) e entre os divorciados (44% e 48%, respectivamente) – que possivelmente encaram Clooney como um exemplo de cabelo saudável apesar da sua idade, admirando os seus cabelos grisalhos enquanto sinónimo de masculinidade e distinção.

Já entre as personalidades cujo cabelo é indicado como “menos invejável”, os britânicos mencionam mais vezes o actor Russel Brand e o Mayor de Londres Boris Johnson. Mas o avançado do Manchester United, Wayne Rooney, também não se vê livre do mesmo título, talvez por ter feito recentemente um transplante de cabelo.

Entre os inquiridos, o nível de satisfação com o seu cabelo parece diminuir com a idade – perto de dois terços dos homens britânicos afirmam estarem contentes com o seu cabelo (60%), sobretudo aqueles que se encontram na faixa etária entre os 18-24 anos (65%).

Já os seus compatriotas entre os 25-34 anos (fase em que muitos homens começam a sofrer de queda de cabelo) parecem menos satisfeitos, apresentando a percentagem mais alta de homens (27%) que admitem invejar o cabelo de outras pessoas, comparativamente aos outros países envolvidos no inquérito.

Os homens britânicos gostam de sentir vida nos seus cabelos: mais de dois quintos dos participantes do sexo masculino consideram que um cabelo denso e saudável é um sinal de virilidade, sucesso e confiança (42%). Esta é uma noção mais presente entre os solteiros (52%) do que entre os seus congéneres casados (44%) ou em união de facto (40%). Do mesmo modo, os homens entre os 18-24 anos e os 25-34 anos têm maior tendência para encarar um cabelo denso e forte como um sinal de virilidade, sucesso e confiança, quando se compara com os seus compatriotas mais velhos, entre os 45-54 anos e acima dos 55 anos (76% e 60% versos 36% e 32%). Possivelmente, isto deve-se ao facto de metade das mulheres de origem britânica também olharem para um cabelo denso e forte da mesma forma – embora algumas estejam mais convencidas do que outras (50%).

Para os habitantes das ilhas britânicas, a auto-confiança está inextrincavelmente relacionada com a confiança no seu cabelo. Quase metade dos homens inquiridos afirma, inclusivamente, que quando tem um encontro romântico, exibir um cabelo denso e forte ajuda-os a sentirem-se mais confiantes e bem sucedidos (47%). Por outro lado, a opinião das mulheres assinala a importância de se manter um cabelo denso e saudável ao longo dos anos: mais de metade das inquiridas (56%) afirmam que se inibem de tocar num “cabelo fino e sem vida” (uma questão levantada sobretudo na região sudeste das ilhas britânicas – 59%).

42% dos homens britânicos consideram que um cabelo denso é sinal de virilidade, sucesso e confiança

Holanda

Os jovens holandeses afirmam fazer do seu cabelo um meio para comunicar (três quartos dos inquiridos entre os 18-24 anos admitem mesmo utilizar o penteado para transmitir uma mensagem – uma percentagem que diminui para apenas um quarto quando se fala dos homens com mais de 55 anos).

Os holandeses são os únicos inquiridos a referir o ducktail típico dos anos 50, muito visto em Elvis, como o estilo mais icónico dos últimos 70 anos (homens: 23%; mulheres: 29%). Já o mullet dos anos 80 parece ser para os inquiridos desta região o corte que menos favorece a imagem masculina (tanto para inquiridos do sexo masculino – 22% - como do sexo feminino – 26%). Os grupos etários que parecem ser menos apreciadores deste penteado são os homens entre os 35-44 anos (27%) e 45-54 anos (24%), bem como as mulheres na faixa etária dos 45-54 anos (33%).

George Clooney e Brad Pitt, ambos com um cabelo bastante denso e saudável, aparecem no topo das preferências dos holandeses quando a marca h&s pede para comentarem os penteados das celebridades (30% e 25%, respectivamente). O protagonista de Mr & Mrs Smith é mais popular entre os jovens (entre os 25-34 anos de idade), sobretudo solteiros e divorciados (35% e 32%, respectivamente).

Quando se pede às mulheres para descreverem a sua ligação ao cabelo dos seus companheiros, a maioria admite gostar de acariciar os cabelos do namorado/marido (67%). No entanto, nos casos em que os seus companheiros têm um cabelo fino e sem vida, a maior parte (35%) revela evitar estes momentos.

Um em cada dois homens de origem holandesa (52%) defende ter uma ideia real do estado do seu cabelo. Até mesmo os mais jovens, entre os 18-24 anos – que admiram os cabelos mais densos e fortes – têm consciência da aparência do seu cabelo (65%), talvez porque 77% das mulheres na mesma faixa etária revelam ter prazer em acariciar os cabelos dos seus companheiros.

Os holandeses são os únicos inquiridos a dar preferência ao estilo ducktail dos anos 50, que ficou famoso graças a Elvis, como o penteado mais marcante dos últimos 70 anos (23% dos homens e 29% das mulheres)

Grécia

De uma forma geral, tanto os homens como as mulheres de origem grega parecem atribuir uma importância substancial ao aspecto do seu cabelo. Os inquiridos do sexo masculino são, de facto, os que mais afirmam que um cabelo denso e forte está associado a um sinal de virilidade, sucesso e confiança (66%). Aliás, esta declaração é mais frequente na Grécia do que em qualquer outra região envolvida no estudo. As mulheres parecem concordar, com quase três quartos (74%), a encarar um cabelo denso e forte da mesma forma que os homens.

Quando se fala em romance, a densidade e a saúde do cabelo são indicadas como os segredos mais bem guardados para se obter sucesso num encontro (com uma potencial companheira). Sessenta e sete por cento dos homens gregos dizem que ter um cabelo denso e forte os ajuda a sentirem-se mais confiantes. Na intimidade, os participantes do sexo masculino revelam sentir-se conscientes do estado dos seus cabelos quando a sua companheira os acaricia (71%). Curiosamente, são os homens na faixa etária dos 35-44 anos e dos 45-54 anos que têm maior noção do seu cabelo nestes momentos (73% e 73%, respectivamente). Ao contrário do que acontece com os inquiridos de outros países, na Grécia são as mulheres com mais de 55 anos que mais desfrutam dos cabelos dos seus companheiros, sendo que todas (100%) revelam julgar importante os homens manterem um cabelo denso e forte por mais anos.

Quando se fala em estilo, as “cristas” – que ficaram conhecidas graças a celebridades como David Beckham – aparecem no topo das preferências dos gregos, sendo que mais de um em cada três inquiridos (incluindo homens e mulheres) mencionam este visual como um dos mais icónicos dos últimos 70 anos (homens: 35% e mulheres: 40%).

Já no que diz respeito à análise dos penteados das celebridades, os homens gregos estão em sintonia com a maioria dos países envolvidos no estudo, optando pelo look grisalho de George Clooney (29%) como o “mais invejável”. Por outro lado, as mulheres revelam uma preferência pelos loiros, com um terço (30%) a referir o nome de Brad Pitt para o visual mais atractivo.

67% dos gregos confessam que, num encontro romântico, ter um cabelo denso e saudável os ajuda a sentirem-se mais confiantes

Alemanha

Perto de metade dos homens alemães inquiridos (55%) admite que o cabelo fala por si, sendo que os mais jovens, entre os 18-24 anos, tocam mais nesse assunto do que os mais velhos, com idade superior a 55 anos (74% versos 38%).

No que diz respeito aos estilos que os alemães consideram mais icónicos ou influentes, a preferência parece ser dirigida para os cortes de cabelo adoptados durante a sua juventude. Para as gerações mais velhas, entre os 45-54 anos e com mais de 55 anos de idade, o “corte cogumelo”, que os Beatles tornaram famoso, é o mais popular (21% e 33%, respectivamente). Os grupos mais jovens (entre os 18-24 e 25-34) optam por looks mais recentes como as “cristas” já do século XXI (24% e 27%, respectivamente). Quando o assunto é o visual menos lisonjeiro, tantos os homens como as mulheres, referem os escadeados típicos dos anos 80, conhecidos por mullet, como as piores escolhas dos últimos 70 anos (36% e 41%, respectivamente).

O actor George Clooney é igualmente mencionado pela população alemã envolvida no estudo, como a celebridade que detém o visual “mais invejável” (homens: 32%; mulheres: 35%). O actual marido de Angelina Jolie aparece em segundo lugar na lista de celebridades com o cabelo “mais invejável”, tendo conquistado a preferência sobretudo de uma audiência mais jovem. As faixas etárias entre 18-24 anos e entre os 25-34 anos nomeiam o protagonista de Mr and Mrs Smith mais frequentemente do que os homens e mulheres mais idosos (32% e 26% versus 16%).

Tal como em outros países, no que diz respeito à Alemanha, os inquiridos das faixas etárias mais jovens, entre os 18-24 anos, são aqueles que admitem invejar mais o penteado de outras pessoas (19%). No geral, os homens de origem alemã revelam maior propensão para julgar os seus colegas de trabalho pelo seu visual do que os amigos ou familiares (10% versos 7% e 6%).

Quanto mais jovens mais importância parecem dar os homens de origem alemã a um cabelo denso e forte, associando-o a conceitos de “virilidade”, “sucesso” e “confiança”. Aliás, mais de metade dos homens das faixas etárias entre os 18-24 anos e 25-34 anos faz esta afirmação, enquanto apenas um terço dos que se encontram entre 45-54 anos idade e um quarto dos que já celebraram mais de 55 anos de idade concordam (59% e 57% versos 38% e 28%).

A confiança associada a um cabelo denso e forte parece diminuir com a idade, sendo que mais de três quartos dos homens entre os 18-24 anos acreditam que uma densidade capilar pode ser a chave para se sentirem confiantes e obterem sucesso num encontro romântico (78%), enquanto este factor é decisivo apenas para perto de metade dos inquiridos com mais de 55 anos (44%).

As mulheres de origem alemã dão igualmente importância ao cabelo masculino, com 69% a expressarem gostar de passar os dedos pelos cabelos dos seus companheiros – uma questão particularmente relevante para as mulheres do estado de Schleswig-Holstein (86%) – destacando a importância dos homens manterem o seu cabelo denso e forte por mais tempo.

Mais de metade dos alemães envolvidos no estudo afirma usar o cabelo para marcar uma posição

França

Como sempre, os franceses demonstram ter muito para dizer no que toca ao cabelo. Três em cada cinco homens afirmam que usam o cabelo para construir parte da sua identidade numa ou noutra ocasião da sua vida diária (59%), sendo que mais de um quarto admitem fazer sempre isto (26%). O estudo demonstra que os homens à margem de relacionamentos mais confortáveis se atrevem mais a recorrer ao cabelo para marcar uma posição do que os solteiros (66% versos 62%). Os parisienses são os que parecem usar mais vezes o cabelo para se distinguirem, sendo que mais de três quartos (67%) mostram um parecer positivo quando mencionada esta situação.

Os gauleses também escolhem os penteados mais volumosos como os mais icónicos dos últimos 70 anos, mencionando as “cristas” dos anos 70 ou o “corte cogumelo” da década de 60 (13% e 15%, respectivamente). Quase um quinto das suas congéneres femininas dá igualmente luz verde às “cristas” dos anos 70 (18%). No entanto, desaprovam o “corte cogumelo”, sendo que perto de um terço (29%) das mulheres francesas destacam o estilo pela negativa.

No que diz respeito às celebridades que mais cobiçam, dois quintos dos homens franceses referem George Clooney como o “mais invejável” (42%). Já as mulheres francesas demonstram-se ainda mais entusiásticas quando se menciona o aspecto da estrela de Hollywood, com 50% a elegerem-no como favorito. Brad Pitt é a escolha do público mais jovem, com os grupos dos 18-24 e dos 25-34 anos a mencionarem o actor como a celebridade com o look mais apelativo (39% e 36%, respectivamente) – enquanto George Clooney leva vantagem entre as faixas etárias mais avançadas (acima dos 55 anos de idade) que se demonstram duas vezes mais propensas (61%) a escolhê-lo do que os mais jovens (entre os 18-24 anos: 27% e os 25-34 anos: 29%). Já os cortes sem estilo, indomáveis e com cabelos finos são apontados negativamente pelos franceses, sendo que muitos nomeiam o presidente Nicolas Sarkozy e o futebolista Zinedine Zidane como as celebridades masculinas com os cabelos “menos invejáveis”.

A densidade capilar é uma preocupação mencionada por 43% dos homens franceses, que afirmam que um cabelo denso e forte pode ser encarado como um sinal de virilidade, sucesso e confiança. As suas parceiras parecem concordar, sendo que um terço faz as mesmas observações (37%). Quando se fala em relacionamentos, um terço dos homens franceses declara que ter um cabelo denso e forte os ajuda a sentirem-se mais confiantes e bem sucedidos quando procuram uma potencial parceira (33%). Já três quartos (74%) das mulheres francesas revelam gostar de acariciar o cabelo dos seus companheiros – sobretudo as mulheres mais jovens, entre os 18-24 anos de idade, com uma impressionante participação de 95% a fazerem esta afirmação. Além disso, o estudo demonstra que as mulheres de origem francesa têm menor tendência a acarinhar o cabelo do seu companheiro se tiver uma aparência fina e sem vida (45%).

Um terço dos homens franceses declara que se sente mais confiante quando o seu cabelo aparenta um estado saudável e denso, sobretudo num encontro com uma potencial companheira

Conclusão

Ao longo dos últimos 70 anos, os homens têm usado, certamente, o seu cabelo para marcar a sua posição. Seja ela boa ou má, amada ou odiada, uma coisa é certa: ter um cabelo denso e forte é parte integral desses style statements. A evolução que se verificou nos penteados masculinos prova que, tal como as mulheres, os homens usam o seu cabelo para falar e para se expressarem no dia-a-dia. Além disso, confirma também que quando conhecem novas pessoas, marcam encontros românticos ou trabalham com pessoas novas… o seu cabelo tem um papel importante na definição de como se sentem e de como são vistos pelos outros. Desta forma, apesar de os homens parecerem estar menos à vontade do que as mulheres para afirmarem a importância que dão ao seu penteado, os inquiridos (52%) demonstram usar o seu cabelo para se expressar em alguma ocasião.

De uma forma geral, a mensagem chave é que a saúde, a densidade e a força do cabelo estão intimamente relacionadas com uma posição mais confiante na vida. De facto, quase metade dos homens encara um cabelo denso e forte como sinal de virilidade, sucesso e confiança (47%). Com o avançar da idade a necessidade de preservarem a saúde dos seus cabelos aumenta, para que possam continuar a ter bom aspecto, independentemente da idade. Tal como Ben Skervin, conceituado hairstylist de h&s, explica: “o maior receio dos homens é que o seu cabelo pareça fino. É por essa razão que a maioria dos meus clientes deseja um corte de cabelo curto que torne o seu cabelo mais denso e saudável. Os homens associam, na realidade, um cabelo denso e forte a um cabelo jovem. Para os homens o seu cabelo funciona como uma verdadeira coroa de glória”.


h&s sabe que um cabelo com um aspecto bonito depende de um couro cabeludo saudável, livre de caspa e da irritação, que conduz ao acto de coçar, arranhar e, consequentemente, danificar o cabelo. A caspa afecta mais de 50% da população mundial, em diferentes níveis de incidência; neste sentido, a prevenção da caspa é um importante passo no sentido de proporcionar aos homens um cabelo denso e forte. Por esse motivo, os homens não devem abrir mão do novo Champô h&s Prevenção da Queda, que elimina a caspa e protege o cabelo dos danos que podem conduzir à quebra e à queda de cabelo.


Cabelo fino e sem vida ou denso e com corpo?
Descubra h&s Prevenção da Queda