Em 2030 a DEPRESSÃO será a maior causa de incapacidade no mundo

Dia Europeu da Depressão
"Recessão económica e depressão no trabalho"



Decorre, no próximo dia 26 de Setembro na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, a sessão "Recessão económica e depressão no trabalho" que tem como objectivo debater temas relacionados com a depressão no local de trabalho.

A depressão é o problema de saúde mental mais predominante na idade activa que por sua vez tem um grande impacto no local de trabalho levando a custos indirectos significativos, tais como a diminuição da produtividade, devido a baixas médicas e pedidos de reformas antecipadas.

Estudos realizados na União Europeia pelas associações de especialistas da área prevêem que em 2030 a depressão seja a maior causa de incapacidade em todo o mundo. Foi estimado de igual forma que, em 2010, os custos da doença na UE atingiram os 92 mil milhões de euros. Na sua maioria estes custos são indirectos e devem-se a reformas antecipadas e baixas médicas.

Actualmente, a perda de produtividade devido ao absentismo e ao presentismo laboral representa mais de 50% dos custos relacionados com a depressão, ou seja, custa perto de 33 mil milhões de euros, por ano, aos empregadores por perda de tempo produtivo.

A importância e a relevância destas questões levam a Associação Europeia da Depressão a nomear a "Recessão económica e depressão no trabalho" o tema da efeméride europeia deste ano.

Em Portugal o tema será debatido entre especialistas numa sessão organizada pela Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e que visa antecipar o Dia Europeu da Depressão que se assinala no dia 1 de Outubro.