Hiperdia apresenta resultados do estudo PHYSA


Estratégias de prevenção e controlo da hipertensão

HIPERDIA APRESENTA RESULTADOS DO ESTUDO PHYSA

O ACES Porto Oriental, em parceria com a Jaba Genéricos e o Menos Sal Mais Sabor a Vida, acaba de apresentar os resultados do estudo PHYSA num evento que reuniu na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto vários técnicos de saúde e Fernando Pinto - Presidente da Sociedade Portuguesa de Hipertensão – para debater a prevalência de hipertensão e consumo de sal em Portugal, apontando estratégias para a prevenção e controlo da doença.


Considerado um problema de saúde pública, a hipertensão arterial (HTA) atinge já 42,2% da população, continuando um quarto dos doentes por tratar, segundo o estudo da Sociedade Portuguesa de Hipertensão. Em Portugal, estima-se que cerca de 57% dos hipertensos não têm a doença controlada, estando por isso sujeitos ao triplo de probabilidade de sofrer de doenças cardiovasculares (ataque cardíaco, enfarte, insuficiência cardíaca), quando comparados com indivíduos com pressão arterial controlada.

Segundo Fernando Pinto, verifica-se um aumento progressivo do número de casos de HTA resistente (HTAr), em que uma pressão arterial não fica controlada, apesar da toma diária de três ou mais medicamentos em doses e combinações adequadas, estimando-se que cerca de 8% dos hipertensos medicados têm a forma mais grave da doença e, consequentemente, um maior risco de sofrer complicações.
No evento debateram-se ainda estratégias conjuntas de prevenção e controlo da hipertensão, abordando-se a importância de utilização de sal para os níveis recomendáveis de 5/6 gramas diários para os adultos e 3 gramas para as crianças. Obesidade, diabetes, sedentarismo, alimentação desequilibrada (consumo excessivo de gorduras e fritos), tabagismo e stress são também factores de risco da HTA e que devem ser combatidos e modificados, levando à adopção de hábitos de vida saudáveis, que incluam a redução da ingestão de sódio, uma dieta equilibrada (rica em frutas e vegetais), a prática regular de exercício físico, um consumo moderado de álcool, o controlo do peso e o deixar de fumar.
Sob mote "Menos Sal Mais Sabor a Vida", o Hiperdia contou ainda com um showcooking gastronómico, que esteve a cargo do Chef Fábio Bernardino, ensinando ao público presente as melhores técnicas culinárias para cozinhar de uma forma saudável e sem adição de sal, cujo consumo excessivo tem graves repercussões na saúde, nomeadamente, na hipertensão arterial.
Jorge Martins, responsável pelo programa MSMSV, esclarece «A prevenção da doença cardiovascular parece uma tarefa simples: procurar uma alimentação correta, não fumar, manter atividade física regular e vigiar a saúde de um modo global. No entanto, quando isto implica uma modificação de hábitos e comportamentos, a efetividade das estratégias definidas reduz-se significativamente. A verdade é que os portugueses são um povo de salgados costumes. Mas existem diversas técnicas simples que nos permitem cozinhar com todo o sabor cuidando da nossa saúde. Assim, é extremamente importante informar, alertar e sensibilizar. É esse o objetivo do projeto Menos Sal Mais Sabor a Vida»