Santa Casa abre candidaturas para a 2.ª Edição das maiores bolsas de investigação em Neurociências no país





COMUNICADO DE IMPRENSA

De 15 de maio a 22 de setembro

Santa Casa abre candidaturas para a 2.ª Edição das maiores bolsas de investigação em Neurociências no país

A Santa Casa abre, a sua segunda edição, das candidaturas aos Prémios Santa Casa Neurociências, que decorrerão de 15 de maio a 22 de setembro de 2014. São 400 mil euros para a Investigação em Neurociências que são distribuídos, anualmente, por duas bolsas de 200 mil euros cada: o Prémio Melo e Castro, para as lesões vertebromedulares, e o Prémio Mantero Belard, para doenças neurodegenerativas associadas ao envelhecimento.

Os Prémios Santa Casa Neurociências são o maior investimento nacional na promoção de investigação médica e científica de excelência, nesta área. O médico neurocirurgião João Lobo Antunes preside, pela segunda vez, ao júri dos Prémios.

Criadas em 2013 pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, estas bolsas destinam-se a promover o trabalho de investigação científica ou clínica nas áreas multidisciplinares das biociências, nomeadamente a neurologia, a neuropatologia, a bioquímica, a biologia molecular, a genética molecular, a química, a farmacologia, a imunologia, a fisiologia e a biologia celular, entre outros. Enquadram-se no investimento da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, no âmbito de uma política de saúde ambiciosa que visa encontrar as respostas mais adequadas às necessidades da população, no século XXI.

O Prémio Melo e Castro distingue a investigação ligada à recuperação e tratamento de lesões vertebro-medulares, território em que Santa Casa foi pioneira no país, com a abertura do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, em 1966.

O Prémio Mantero Belard promove a investigação em doenças neurodegenerativas associadas ao envelhecimento, como as doenças de Parkinson e de Alzheimer, que afetam já 153 mil portugueses, um número que se estima duplicar até 2030.

Na edição inaugural, o Prémio Melo e Castro 2013 foi entregue a António Salgado (investigador responsável) e à sua equipa do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e da Saúde - Laboratório Associado da Universidade do Minho, pelo projeto "Desenvolvimento de uma Terapia Integrada para Lesões Vertebro-medulares utilizando Biomateriais, Células Estaminais Mesenquimatosas e Agentes Neuroprotetores".

A investigadora Ana Cristina Carvalho Rego e a sua equipa, do Centro de Neurociências e Biologia Celular, da Universidade de Coimbra, foram distinguidos com o Prémio Mantero Belard 2013, pelo estudo da "Avaliação do Stresse Oxidativo e Disfunção Mitocondrial em Modelos Animais e Doentes de Huntington utilizando Cu (II) – ATSM PET".

As Bolsas serão atribuídas aos melhores projetos desenvolvidos em Portugal, sendo aceites parcerias ou colaborações com instituições ou investigadores de outras nacionalidades, de acordo com o regulamento. As candidaturas podem ser submetidas através do site www.candidaturasneurociencias.scml.pt