Como perder peso depois do verão


MAIS DE METADE DOS PORTUGUESES QUER
PERDER PESO DEPOIS DO VERÃO
São muitos os portugueses que procuram soluções para perder peso depois do verão. Os métodos alternativos, como a Dieta Proteinada, o acompanhamento médico e o apoio de uma equipa multidisciplinar podem ser a chave para alcançar resultados de sucesso.
Em Portugal, onde a obesidade atinge 1 milhão de adultos e 3,5 milhões são pré-obesos[i], fazer dieta e perder peso são objetivos muito comuns, sobretudo depois de um período de excessos como as férias.
Um estudo internacional[ii] revela que este é um objetivo de mais de metade dos portugueses (53%). Segundo o inquérito, levado a cabo em 56 países, mais de 3/4 das pessoas que querem perder peso (78%) admitem mudar os seus hábitos alimentares e fazer dieta para atingir este objetivo.
No entanto, mais difícil do que começar a dieta é mantê-la: a falta de resultados, de estímulo, ou a perceção de que fazer dieta é fazer refeições "aborrecidas" estão na origem de grande parte dos abandonos de regimes alimentares saudáveis.
Por outro lado, existem poucas alternativas para as pessoas com obesidade ou excesso de peso. Os tratamentos mais comuns são a Dieta Hipocalórica, que é demorada, e a cirurgia bariátrica, que deve restringir-se a casos de obesidade muito excecionais.
Para resolver esta questão torna-se fundamental encontrar métodos alternativos, eficazes e seguros que ajudem as pessoas com excesso de peso e obesos a perder peso de forma consistente e a manter a perda de peso alcançada.
Um destes métodos alternativos é a Dieta Proteinada, dieta cetogénica, normoproteica e baixa em gorduras, que se baseia no controlo rigoroso da quantidade e qualidade de proteínas ingeridas pelo paciente. Desta forma, consegue-se que o corpo entre em cetose controlada, o que permite alcançar uma perda gradual de peso graças à gordura, preservando a massa muscular. Estudos realizados recentemente (Estudo ProKal) comprovaram que a Dieta Proteinada é três vezes mais eficaz na perda de peso do que as Dietas Hipocalóricas e é igualmente segura.
A PronoKal Group®, empresa especializada em tratamentos para perda de peso, desenvolveu o seu método inovador, PronoKal - http://www.pronokal.pt, baseado na Dieta Proteinada, com supervisão médica, que já demonstrou ser três vezes mais eficaz na perda de peso do que a dieta hipocalórica. Em apenas dois meses, os pacientes com PronoKal perdem 14 kg em comparação com os 5 kg pedidos com a dieta hipocalórica. Ao fim de um ano, a perda de peso é de cerca de 20 kg e 7 kg, respetivamente. Os dados são do estudo ProKal, que avalia a eficácia do Método PronoKal (Dieta Proteinada) versus uma dieta hipocalórica equilibrada, na redução de peso em pacientes obesos. Dados que já mereceram destaque na revista científica internacional Endocrine.
Qualitativamente, os resultados são muito encorajadores já que 93% do peso que os pacientes do grupo PronoKal, com Dieta Proteinada, perdem é à custa de massa gorda e a perda de massa magra é apenas de 7%.
Estes valores indicam que a Dieta Proteinada é um tratamento eficaz na perda de peso, com bastante qualidade, já que praticamente todo o peso reduzido corresponde a massa gorda e ajuda a preservar a massa magra.
Os dados de outro estudo internacional[iii] revelam que 80% das pessoas que iniciam uma dieta recuperam peso um ano depois do fim do tratamento. Para contrariar esta tendência, este método inovador dispõe de uma última etapa, em que o paciente recebe orientação e ajuda por parte de uma equipa multidisciplinar, formada por um médico, uma equipa de nutricionistas-dietistas e especialistas em atividade física e coaching, que o apoia desde o início do tratamento para manter o peso perdido a longo prazo.
  


[i] Dados do relatório "Portugal: Alimentação Saudável em Números 2013" do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS)
[ii] Dados do Estudo Global de Tendências na Rotulagem de Alimentos da ACNielsen  de 2011, com 25.000 respondedores em 56 países.
[iii] Dados do Estudo Inca 2 da Agência Francesa de Segurança de Saúde e dos Alimentos (AFSSA).