Primeira rede oncológica privada nacional - I.C.O.


O Instituto CUF de Oncologia (I.C.O.), a primeira rede oncológica privada nacional num combate que precisa de todos, instituições públicas e privadas, nacionais e internacionais.

Prioridade estratégica da José de Mello Saúde e da CUF, o I.C.O. conta com a dedicação de mais de 300 especialistas, que trabalham em equipa multidisciplinar em todas as áreas do diagnóstico e tratamento do cancro, utilizando os recursos de infraestrutura, equipamentos tecnológicos de vanguarda – em alguns casos, únicos em Portugal – e processos em toda a rede.


B.I. do Instituto CUF de Oncologia

  • Localização: presente em todas as unidades da rede CUF

Hospital CUF Infante Santo
Hospital CUF Descobertas
Hospital CUF Porto
Instituto CUF Porto
Clínica CUF Belém
Clínica CUF Alvalade
Hospital CUF Torres Vedras
Hospital CUF Cascais
Clínica CUF Mafra
Clínica CUF Sintra
Clínica CUF São Domingos de Rana
Clínica CUF Miraflores
Hospital CUF Santarém
Hospital CUF Viseu


  • Equipa: mais 300 especialistas dedicados
  • Salas de bloco cirúrgico: 33
  • Unidades de Tratamento e Diagnóstico Integrado (UDTI): 14

UDTI Mama
UDTI Pulmão
UDTI Próstata
UDTI Cólon-Retal
UDTI Urologia
UDIT Ginecologia
UDTI Pele
UDTI Cabeça e Pescoço
UDTI Sistema Nervoso Central
UDTI Hematologia
UDTI Digestivo Alto e Hiperplasia Benigna da Próstata
UDTI Sarcoma
UDTI Tumores Endócrinos
UDTI Oncologia Geral e Tumores Raros









Bryan Ruiz já foi pai de Benjamín!




O segundo filho do jogador do Sporting nasceu ontem

Bryan Ruiz já foi pai de Benjamín!

Bryan Ruiz não conteve ontem o orgulho e felicidade junto à esposa Carolina Jaikel pelo nascimento de Benjamín, que pesa 3kg e 900gr e nasceu ontem às 13h30. Desta forma Bryan é pai pela segunda vez, já que há oito anos havia chegado Mathías à sua vida.

"Não há palavras para descrever o momento de nascimento de um filho. É uma avalanche de emoções e sinto-me muito feliz por partilhar este momento único. A Carolina e eu estamos ansiosos por conhecer o Benjamín e começar esta experiência linda e única que traz um filho", comentou Bryan. "A recolha das células estaminais pela Cytothera foi simples e tudo correu bem no parto. Sentimo-nos calmos porque sabemos a segurança que a criopreservação traz para o futuro de Benjamín", explicou.

O futebolista do Sporting e Carolia Jaikel casaram em Maio de 2014 e aumentam assim a sua família, e também a família "sportinguista", porque querem fazer de Benjamín um seguidor do clube do seu pai. Bryan Ruiz foi um dos mais valiosos jogadores na equipa do Sporting na temporada passada e prepara-se novamente com energia e ambição para iniciar o próximo campeonato.


A Cytothera é uma empresa de biotecnologia pertencente ao Grupo Farmacêutico Medinfar, 100% portuguesa, que desenvolve a atividade de criopreservação em Portugal desde 2005. Foi o primeiro laboratório em Portugal e na Europa a disponibilizar o serviço de isolamento e criopreservação de células estaminais do tecido do cordão umbilical. Por ser um Banco Privado, as células estaminais que são confiadas à Cytothera pertencem ao bebé. Os pais ficam responsáveis pelas células estaminais dos seus filhos, até que os mesmos atinjam a maioridade.





"Teatro Ádóque (1974-1982). História dum sonho teatral", de Luciano Reis já em 2.ª edição



Teatro Ádóque "foi, sem sombra de dúvida, um dos mais emblemáticos e dinâmicos espaços de intervenção sociocultural no pós-25 de Abril [de 1974] em Portugal", afirma o autor do primeiro ensaio sobre esta cooperativa artística.
O Teatro Ádóque funcionou na capital, no largo Martim Moniz, num teatro desmontável que pertencera à Companhia Rafael Oliveira, desde setembro de 1974, quando estreou a revista "Pides na grelha", até 1982, quando subiu à cena "Tá entregue à bicharada".
Entre os fundadores desta cooperativa artística contam-se o
 ator, autor e encenador Francisco Nicholson, o cenógrafo Mário Alberto e o coreógrafo Fernando Lima
.



Fundação Manuel Simões
Rua do Carmo, 51, 1º C/D
1200 – 093 Lisboa
Tel. 213 465 365








Técnica minimamente invasiva evita cirurgia em idosos operados ao coração com problemas na válvula aórtica







No âmbito do Dia Mundial Dos Avós que se celebra a 26 de julho:



Milhares de Portugueses são operados anualmente ao coração. Muitos deles, ao fim de algumas décadas, enfrentam a necessidade de uma segunda intervenção e estão a ser adotadas técnicas de vanguarda para evitar as reoperações. O anúncio é da Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular (APIC) da Sociedade Portuguesa de Cardiologia e surge no âmbito do Dia Mundial dos Avós que se celebra a 26 de julho.

Em Portugal, todos os anos, cerca de 2500 idosos são operados ao coração devido à estenose aórtica, a doença cardíaca mais comum entre os avós e que se caracteriza por um desgaste da válvula aórtica. O tratamento da estenose aórtica passa por um implante de uma válvula nova através de cirurgia de peito aberto ou, de forma menos invasiva, de um implante percutâneo, que permite a colocação da válvula cardíaca por uma incisão de meio centímetro.
De acordo com Rui Campante Teles, cardiologista de intervenção e Presidente da APIC, "nos últimos anos, este número de intervenções tem vindo a crescer, já que com o aumento da esperança média de vida, muitos destes doentes ao fim de uma ou duas décadas têm que enfrentar uma segunda intervenção de substituição da válvula artificial degenerada."
E acrescenta: "em Portugal, esta intervenção é atualmente feita por via minimamente invasiva com menor risco para os doentes e com uma recuperação mais rápida. Só em 2015, uma em cada vinte intervenções por via percutânea deveu-se precisamente a uma substituição de uma válvula artificial degenerada, com resultados muito bons para os doentes, que veem assim recuperada a sua qualidade de vida".
A estenose aórtica é uma doença que se caracteriza pelo aperto da válvula aórtica, cuja função é evitar que o sangue bombeado pelo coração volte para trás. Quando existe este estrangulamento o sangue passa com dificuldade, provocando cansaço, dor no peito e desmaios.
Em todo o mundo, mais de 300 mil pessoas sofrem de estenose aórtica grave e, em Portugal, esta patologia atinge 30 mil pessoas.
As melhorias produzidas pelos medicamentos são muito limitadas e não evitam as complicações mais graves provocadas pela exaustão cardíaca que, após os primeiros sintomas e nos apertos de alto grau, conduz à morte de metade dos doentes no primeiro ano. O tratamento é feito por isso através do implante da válvula aórtica através de cirurgia aberta ou por cateterismo.
Em Portugal, o tratamento das válvulas por cateterismo (o implante percutâneo da válvula), está a aumentar muito, acompanhando o panorama mundial. Este método permite o implante de uma válvula cardíaca através de um pequeno tubo que é introduzido na artéria, não sendo necessário a abertura da caixa torácica, facilitando muito a recuperação e diminuindo o risco.


Enfermeiros ensinam manobras de Suporte Básico de Vida Pediátrico no CHAlgarve



Enfermeiros ensinam manobras de Suporte Básico de Vida Pediátrico no CHAlgarve
Primeiro curso decorre já este sábado, dia 23, no hospital de Faro

Preocupado com o número de mortes por afogamento que se registam anualmente, o Centro Hospitalar do Algarve, em parceria com a Secção Regional do Sul da Ordem dos Enfermeiros, volta a promover nos meses de verão mais uma edição do Curso de Suporte Básico de Vida Pediátrico, com a primeira sessão a decorre já este sábado, dia 23 de julho, no hospital de Faro.

Aberto à comunidade e sob o mote «Gestos que Salvam Vidas», o curso tem a duração de um dia, é gratuito e dirigido a pais, educadores ou outros interessados, tendo as inscrições esgotado em 72 horas, o que por si revela o interesse e importância que população reconhece ao tema.

Ministrado por enfermeiros especialistas na área da pediatria, o programa formativo assenta essencialmente numa componente muito prática, ensinando as principais manobras de suporte básico de vida que podem ser utilizadas em caso de afogamento ou engasgamento de uma criança.

As sessões, cujas inscrições já se encontram esgotada, decorrem nas salas de formação da unidade de Faro do Centro Hospitalar do Algarve nos dias 30 de julho, 20 de agosto e 17 de setembro.

Este curso, desenvolvido há vários anos no Centro Hospitalar do Algarve em parceria com a Secção Regional do Sul da Ordem dos Enfermeiros, tem como objetivo estratégico promover a literacia em saúde e garantir uma maior proximidade entre os cuidados de saúde e a comunidade, ensinado os participantes a agir em situações de afogamento ou engasgamento.








Download do Livro Alimentação Inteligente