dia mundial do cérebro





10 a 20% das pessoas entre os 60 e 80 anos
sofrem de uma ou mais doenças neurológicas
O alerta é deixado pela Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral (SPAVC) que se une ao mote da World Federation of Neurology (WFN), "Brain Health and the Ageing Population", para assinalar o Dia Mundial do Cérebro.
"Entre as várias doenças neurológicas que aumentam de prevalência com o envelhecimento salienta-se o acidente vascular cerebral (AVC), que é a doença neurológica mais comum na população mundial neste grupo etário", refere Patrícia Canhão, neurologista do Hospital de Santa Maria (Centro Hospitalar de Lisboa Norte) e vice-presidente da SPAVC.

"Cerca de 75% dos casos ocorrem em pessoas com mais de 65 anos. Representa uma das principais causas de mortalidade e é a primeira causa de incapacidade no mundo", acrescenta.

Referindo-se a Portugal, a especialista afirma que "é pertinente falar de AVC neste Dia Mundial do Cérebro porque o AVC é a primeira causa de morte e incapacidade em Portugal e porque existe possibilidade de tratar os doentes com AVC, desde que cheguem rapidamente aos locais adequados para o tratamento".

Para isso, os doentes ou acompanhantes deverão reconhecer os sinais de AVC (assimetria da face, alteração da fala, diminuição de força num dos membros) e solicitar ajuda imediata, através do número de emergência 112.

"A outra razão de se falar em AVC neste dia é precisamente porque esta doença catastrófica pode ser prevenível. E todas as medidas de prevenção devem ser iniciadas nas pessoas, mesmo ainda quando são jovens. São bem conhecidos os seus fatores de risco: a hipertensão arterial, diabetes, dislipidémia, problemas cardíacos como a fibrilhação auricular, tabagismo, obesidade e sedentarismo. Muitos destes fatores de risco são modificáveis e tratáveis. Controlar estes fatores de risco previne o AVC", acrescenta a vice-presidente da SPAVC.


Neste contexto, Patrícia Canhão deixa algumas medidas simples a adotar para manter um "Cérebro Saudável" no indivíduo em envelhecimento, prevenindo algumas das doenças neurológicas mais frequentes no idoso:
·         manter-se mental e socialmente ativo;
·         manter atividade física regular;
·         adotar uma dieta saudável;
·         controlar o peso, a pressão arterial, o colesterol e o açúcar no sangue;
·         não fumar;
·         evitar lesões cerebrais traumáticas (exemplo, usar cintos de segurança, capacetes).